Kirby’s Dream Land – GameBoy

Spread the love

O INÍCIO DO CLÁSSICO

Produzido pelo estúdio Hal Laboratory e lançado pela Nintendo em 1992 para o Gameboy, Kirby’s Dream Land é o primeiro jogo da série da franquia da bolinha rosa mais famosa dos videogames.

Originalmente projetado por Masahiro Sakurai, Kirby’s Dream Land foi uma proposta de jogo para que ele se transformasse no mais simples possível, já que se tratava de um jogo de portátil que pudesse ter jogatinas rápidas e ágeis num curto período de tempo. Tanto é que o jogo conta com apenas cinco fases.

Como o jogo mais simples da série principal, Kirby’s Dream Land ainda não contava com os poderes especiais do protagonista ao engolir os inimigos. Quando Kirby suga os inimigos, ele incha e tem a possibilidade apenas de os “cuspir” de volta. Sem adquirir nenhuma habilidade especial, independente do inimigo ingerido.

Além deste superpoder de engolir os inimigos, Kirby ainda conta com a habilidade de pular e flutuar, que o jogador pode fazer apertando o direcional para cima ou o botão A repetidas vezes. É meio óbvio, mas ao final de cada fase é encarado um chefão, no qual cada um deles tem uma forma diferente de ser destruído. A última fase do jogo é uma espécie de “boss rush” no qual são enfrentados todos os chefes anteriores.

 

PLOT SIMPLES. DESIGN CATIVANTE

“Kirby’s Dream Land”, conta a história do Rei Dedede que, junto com seus lacaios, roubaram toda comida e as estrelas do reino de “Dream Land”.

Cabe ao nosso herói a tarefa de destruir os inimigos, derrotar o Rei e recuperar a comida e as estrelas que foram roubadas. História e jogabilidade simples para um console portátil. Uma combinação que não poderia ser mais exata.

Uma curiosidade interessante sobre nosso herói é que antes do lançamento do jogo a Nintendo não tinha certeza sobre que cor o personagem deveria ter. Sakurai achava que Kirby deveria ser rosa, enquanto que Shigero Miyamoto achava que ele deveria ser amarelo. Eventualmente a Nintendo decidiu pela cor rosa. Mas, o time de localização da Nintendo of America não ficou sabendo dessa decisão. Na dúvida, sobre que cor o personagem deveria ter, acabaram deixando o personagem em tons de cinza. Assim como na sua paleta de cores do jogo.

Diferenças entre as capas das versões Norte Americana e Japonesa, respectivamente.

POR QUE JOGAR?

“Kirby’s Dream Land” é o jogo com a mecânica mais acessível de toda a série. Chega a ser quase casual. Não de uma forma pejorativa, mas pela sua simplicidade; dado a plataforma para o qual foi desenvolvido, um portátil. Então, o que o faz dele um jogo necessário de ser jogado nos dias de hoje?

O principal motivo é que “Kirby’s Dream Land” é a melhor porta de entrada para um jogador que nunca teve contato com algum jogo da série, e só ouviu falar. Já que por ser simples e curto, o jogador tem a possibilidade de terminá-lo em pouco tempo e ter uma noção de como são os outros jogos da franquia.

Outra razão é que, no quesito técnico, “Kirby’s Dream Land” é um primor. Tanto na questão gráfica, como na sua jogabilidade e músicas. Impecável! Uma versão que por ser compacta não fica nem um pouco atrás da sua versão para o NES. Que diga-se de passagem, também é um excelente jogo e que rivalizou na época de frente com o clássico Super Mario Bros. 3, nos quesitos técnicos e de jogabilidade.

Portanto, se você tem curiosidade de conhecer esse jogo maravilhoso, ou não sabe por onde começar, “Kirby’s Dream Land” é um ótimo começo.

Nos encontramos no próximo texto!

 Vinicius Diello.

 

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of